top of page

Alimentos que podem reduzir o risco ao Câncer de Mama



O câncer de mama (CM) é uma doença crônico-degenerativa, responsável por aproximadamente 11,84 óbitos a cada 100 mil mulheres no mundo, em 2020 (ainda que exista as variáveis de local e tempo).

Com o avanço acelerado da modernização, precisamos compreender que o ambiente em que vivemos, causa impacto muito maior no desenvolvimento de diversas doenças. Portanto, não podemos culpar só a genética, se não tivermos o devido cuidado com a nossa saúde.

Temos alguns fatores de risco que trazem predisposição a este tipo de câncer:

  1. Idade;

  2. Menopausa tardia;

  3. Histórico familiar;

  4. Doenças crônicas não transmissíveis (obesidade, hipertensão, diabetes, etc.);

  5. Ciclo menstrual irregular;

  6. Estilo de vida.


Sendo considerado o segundo tipo mais comum de câncer no mundo inteiro, o CM afeta principalmente o público feminino. Com isso, foi vista a necessidade criar ações que pudessem alertar a população acerca do risco, o conhecido OUTUBRO ROSA, ação que chegou ao Brasil há 20 anos e vem crescendo e impactando positivamente.

A nutrição adequada desempenha um papel importante na prevenção de patologias e as intervenções nutricionais trazem benefícios no campo da Saúde Pública.

Alguns estudos mostram que uma alimentação rica em carboidratos simples e alimentos processados/contaminados, aumenta o risco de câncer. Em contrapartida, houve diminuição no aumento de casos, com maior consumo de gorduras insaturadas (como abacate, salmão, semente de linhaça, etc.).

O foco em uma rotina rica em alimentos in natura e minimamente processados só trazem benefícios à nossa saúde, pela presença de compostos bioativos – que contribuem para prevenção e tratamento de doenças. São eles:


  • CENOURA: possui antioxidantes e beta caroteno (precursor da vitamina A), protegendo e evitando a oxidação e formação dos radicais livres (moléculas reativas e instáveis).


  • ROMÃ: ela vai muito além das “superstições” na virada do ano! Rica em ácido elágico; taninos e flavanóides - poderosos compostos antiinflamatórios; antioxidantes e antiproliferativos.


  • FRUTAS VERMELHAS: amora, blueberry, mirtilo, morango (a romã também!), etc. Também possuem ácido elágico, vitamina C, fibras, polifenóis. Todas auxiliam no combate à essa patologia.


  • BRÓCOLIS: com origem no Mediterrâneo, mas consumido no mundo inteiro, ele contém carotenóides e fenóis, ambos relacionados com a prevenção de doenças crônicas. Também possui sais minerais, as fibras e vitaminas.


  • ALHO: rico em proteínas, lipídios, aminoácidos, fósforo, potássio, enxofre, cálcio e zinco.


  • FEIJÃO E LEGUMINOSAS: possuem em suas composições: fibras, proteínas, minerais e antioxidantes, como: flavonoides e saponinas.


  • OLEAGINOSAS: fontes das vitaminas E; complexo B e de minerais, como: zinco, potássio, manganês, ferro, cobre e selênio.


  • ESPINAFRE: rico em vitaminas A, B1, B2, B5, C, D, E, K, potássio, cálcio, magnésio, ferro, sódio, fósforo, enxofre, cloro, silício e fibras.


  • COUVE-FLOR: fonte de potássio, fósforo, cálcio, manganês, vitaminas C, K e complexo B.


Podemos concluir que uma adesão ao estilo de alimentação saudável pode estar associada a uma redução significativa no risco de Câncer de Mama.


Com carinho,

Jessyca Fernandes

Nutricionista materno-infantil



37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page