top of page

Como sobreviver ao Puerpério?

Atualizado: 21 de mar. de 2022

Os 2 primeiros anos de vida do bebê são os mais difíceis para a mãe!

créditos da imagem: pixels.com.br

É o tal de puerpério, que diferentemente do que a maioria pensa, pode durar bem mais do que 3 meses! A vida da mulher "vira de cabeça para baixo". São mudanças físicas, hormonais, psicológicas e sociais que podem prejudicar o humor e o bem-estar emocional da recém mãe.


Por isso, separei algumas dicas que podem te ajudar a passar por esse período.


A primeira delas, seria:





NÃO ESQUEÇA DE SI MESMA!

Eu sei, isso é missão quase impossível quando se tem um bebê! Entretanto, por mais difícil que seja, FAÇA ALGO POR VOCÊ. Tenha em mente que cuidar de si mesma é tão importante quanto cuidar de seu filho!


Você vai precisar de pessoas.

Lembre-se que criar um filho é uma tarefa muito grande para se fazer sozinha. Lembrando que o pai da criança NÃO é rede de apoio! Ele tem tanta responsabilidade quanto você nos cuidados com o filho.


Você pode ter uma rede de apoio familiar ou paga.

Se esforce para construir amizades com pessoas que já são mães ou cujos filhos acabaram de sair da fase que está o seu! Essas amizades podem ser fonte de informações muito valiosas - ou, pelo menos, saber que as outras crianças "aprontam" as mesmas coisas que o seu filho, pode ser reconfortante! Você e seu parceiro podem se revezar nos cuidados com o filho para que um ou outro aproveitem o tempo com amigos - isso pode salvar a sua saúde mental.


Você pode ainda trocar horas de babá com uma amiga - um dia você fica com as crianças enquanto ela passeia ou relaxa e no outro dia é a sua vez.

Cuidar de um bebê é uma tarefa bastante exaustiva. Ouvir choro na maior parte do dia ou ficar trocando inúmeras fraldas, enquanto você aprende a lidar com seu bebê, vai sugar suas energias. Por isso, tenha em mente que você vai precisar de ajuda. Estruture a sua rede de apoio. Creches e escolas também podem ser uma opção. Desista da ideia de que vai dar conta de tudo sozinha. Porque você não vai! E não precisa!


É importante você encontrar coisas que te façam sentir-se viva e feliz.

É fácil ficar ocupada com tantos pratos pra equilibrar e tantas obrigações pra dar conta, que suas próprias necessidades são empurradas não só para o fim da lista, como são eliminadas completamente.


No começo, principalmente com mães de primeira viagem, nem usar o banheiro conseguem na hora que precisam. Mas depois, vai pegando o jeito. Mães de segunda viagem ou mais, por exemplo, não passam o dia de pijama! Então é questão de ir aprendendo a lidar com o bebê enquanto você não esquece de si mesma. As vezes o seu bebê pode chorar um pouco para que você tome banho, ou pode esperar você ir ao banheiro ou tirar o pijama antes de mamar.


Observe como você gasta seu tempo.

Ele é precioso e muito curto quando se tem filhos pequenos. Garanta que você está gastando-o da maneira mais sábia possível. O que isso quer dizer? Se você não dorme bem a noite porque seu filho acorda várias vezes, durma durante o dia quando ele dormir também! É tentador sair pela casa correndo pra arrumar e limpar tudo, mas você será mais feliz se tirar uma soneca! Liste algumas atividades (simples e prazerosas) e escolha uma por dia pra você fazer. Quando seu filho estiver com outro cuidador, por exemplo, ou dormindo, aproveite para fazer uma delas. Todo mundo faz melhor quando se sente melhor.


Tome sol enquanto seu bebê toma sol, ao invés de ficar olhando suas redes sociais! Faça caminhadas enquanto empurra o bebê no carrinho e aproveite para respirar outros ares!

Os passatempos e exercícios são importantes para sua saúde mental e emocional e você será uma mãe muito mais paciente e eficaz se estiver investindo tempo e energia em seu próprio bem-estar.

Não encha a sua agenda de compromissos – o que seu filho precisa é de tempo e conexão com você – tempo para abraçar, engatinhar e brincar no chão juntos, por exemplo.


Eu sei que você quer ser uma boa mãe, mas você não conseguirá ser essa mãe se estiver exausta, infeliz e sobrecarregada. Isso significa que você precisa encontrar meios para se reabastecer – pense o que geralmente te relaxa e renova: fazer uma caminhada? Ouvir música? Alguns minutos em silêncio? Fazer as unhas? E como você pode conseguir isso na sua rotina?


Ser uma boa mãe passa pelo autocuidado. O autocuidado, na verdade, não é opcional, pois sem ele, todos sofrem. Quando você não cuida de si mesma, todos sofrem com isso. Procure ajuda psicológica se esses esforços não estiverem funcionando ou se você estiver se sentindo desesperada.




119 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận


bottom of page