top of page

Freio lingual curto: como o Osteopata pode participar do tratamento?

Atualizado: 10 de fev. de 2022


Créditos: Fonoessence

Quando o bebê apresenta o seu freio da língua curto, sendo encaminhado pelo seu pediatra e/ou sua consultora de amamentação para um odontopediatra e este, após correta avaliação dá o diagnóstico e, junto da família, decidem que a intervenção no freio é a melhor opção; se faz necessário a avaliação de um Osteopata para ver há outras tensões pelo o corpo que possam está interferindo concomitantemente.


As fáscias são tecidos conjuntivos (como uma lycra) que envolvem os componentes do corpo e vão os interligando e fazendo com que eles trabalhem de uma forma harmônica e congruente.


Há estudos que demostram que a língua tem uma ligação direta com as fáscias que envolvem músculos, vasos e ossos e que descem até os pés. Sendo assim, fica fácil compreender que tensões nesse corpo, ainda que distante da língua, interferem em seu bom funcionamento, mesmo após as intervenções cirúrgicas.


O Osteopata é o responsável pela a avaliação e o tratamento destas adaptações que tensionam o tecido, agindo para que estas estruturas encontrem seu equilíbrio entre elas e, assim, permitindo um bom funcionamento da língua.


Podendo ainda apresentar uma alteração na motricidade (coordenação do movimento da língua), tratada por um fonoaudiólogo especializado.


Como podemos perceber, é um trabalho multiprofissional, onde cada profissional tem o seu lugar e quem mais se beneficia é a família e seu bebê!




Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page