top of page

Maternidade: sonhos e desafios

Atualizado: 23 de jul. de 2021

Três perguntas, três respostas e mil possibilidades de identificação. O que é maternidade para essas mães?

Fotos: Arquivo Pessoal

No mês de maio em comemoração ao mês das Mães fizemos essas perguntas às mães da comunidade Gestar, a fim de refletir e conhecer um pouco mais sobre a vivência de cada uma em seu maternar. Falamos sobre romantização, desafios, mas também de força, descobertas, amor e todos os outros turbilhões de sentimentos que envolvem esse momento.


O que é maternidade para você?

Maternar para a Natalia Antunes, mãe da Antônia e fundadora da @temflorcuidadosnaturais é “entregar o seu melhor, sem esperar absolutamente nada em troca. É vivenciar um amor que não cabe em palavras.” e “antes de tudo, um privilégio, diria ainda que é uma oportunidade poderosa e intensa para o autoconhecimento.” Ela entende que o filho é nosso espelho, e com isso, é possível aprender e aproveitar essa oportunidade, nos permitindo passar por uma enorme transformação, completa dizendo “Eu amor muito ser mãe”


Já para Suelma Kzam, Mãe embaixadora Gestar e criadora do @maepensativa, maternar é “aprender todos os dias, sobre mim mesma e sobre minhas limitações. É descobrir que sou capaz de fazer coisas que nunca imaginei, de superar meus próprios limites e medos em busca do melhor para os meus filhos, é viver momentos inesquecíveis de alegria, de descobertas e algumas vezes de tristeza também, é me sentir importante e necessária de verdade para alguém, é amar sem medidas e me doar desmedidamente, por fim, é ser o melhor que eu posso ser para eles”.


Para a Luciana Rocha, CEO da @useobadele, maternar é “um grande presente que eu mesma não acreditei que merecia.” Ela diz que apesar dos grandes desafios, “é uma dádiva gerar uma vida e ter grande importância na formação de um ser humano. Me emociona muito perceber os laços eternos que eu e meu filho estamos construindo. É gratificante!”


Qual seu maior desafio na maternidade?

Para muitas, a maternidade vem repleta de grandes dificuldades. Levando em conta esses obstáculos, Natalia comenta que para ela o maior desafio foi lidar consigo mesma. O principal foi entender quais eram os padrões de sua criação que ela não queria repetir na criação de sua pequena Antônia. "É enxergar nela, tudo que eu preciso trabalhar em mim”. Mesmo sendo uma jornada cansativa, ela afirma ser uma grande oportunidade para nós adultos, de acolhermos nossa criança interior ferida, amando e amparando nossos filhos.


Na opinião de Suelma, o maior desafio é ajudar na construção de cidadãos para o mundo, imprimindo neles valores que serão levados por toda a vida. Em seu papel de mãe, a dificuldade está em conciliar tantos papéis diferentes, sem deixar de priorizar o mais importante, que é ter tempo para eles e com eles.


No caso de Luciana, mulher preta e mãe de um menino negro, a dificuldade aparece também perante a sociedade. Ela nos conta que o maior desafio é criar um filho com amor, procurando oferecer melhores oportunidades, sabendo que a sociedade será responsável por subjugá-lo pela cor de sua pele. "O medo das sequelas por conta do racismo me atormenta."


Qual seu maior sonho?

Mesmo com todos os desafios presentes, as mães sonham tanto para elas quanto para seus filhos uma maternidade que atenda todos os anseios e expectativas.


O sonho de Natalia é poder orientar e acompanhar sua filha da melhor maneira possível, para que ela cresça uma mulher independente, autoconfiante e feliz. Já no campo do seu "eu, feminino" ela deseja elevar cada vez mais sua consciência, para poder servir de exemplo para seus filhos e também a outras mulheres. Seu desejo é poder ajudar as pessoas a encontrar sua verdadeira felicidade, aquela que vive dentro de cada um de nós, por isso ela quer compartilhar seu conhecimento e suas experiências e assim ajudar as pessoas a serem mais saudáveis, plenas e felizes. “Ter qualidade de vida e bem-estar é possível, e foi o caminho que eu busquei para mim. Poder compartilhar um pouco disso, é um privilégio”


Para Suelma, um sonho é ver seus filhos crescerem saudáveis, com uma longa vida e sempre no caminho do bem. Como mulher, ela sonha em não desistir de empreender em algo que lhe traga satisfação pessoal e profissional.


Luciana conclui que como mãe, seu maior desejo é ver seu filho crescer feliz, saudável, protegido e realizando seus sonhos. Como mulher, ela sonha em ser bem-sucedida em seu trabalho e inspirar outras mulheres que se identifiquem com ela.


No fundo o que todas queremos é dar o nosso melhor e entregar o que existe de mais precioso no mundo para nossos filhos.

Maio, o mês das mães é importante para que possamos parar um pouco e lembrar a importância de vermos que não estamos só nessa jornada que muitas vezes é solitária.


A maternidade chega cheia de altos e baixos, contudo, compartilhar nossas relações, sentimentos e vivências faz os desafios serem menos pesados, os sonhos mais possíveis e a experiência de ser Mãe única.


Não precisamos e nem devemos nos sentir solitárias em meio a um mundo onde metade somos mães e outra metade são nossos filhos. Que possamos nos acolher, escutar, apoiar e seguir sendo fortaleza umas para as outras.


E você, como responderia essas perguntas? Conta aqui nos comentários para a gente (:





474 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

תגובות


bottom of page