top of page

O que é esse tal de Puerpério?

Atualizado: 30 de ago. de 2022


Imagem extraída de canva.com

Por Mariana Miguel

Psicóloga da Maternidade

@psico.marimiguel



Essa palavra estranha representa o início do pós-parto. Assim que o bebê nasce e sai a placenta, inicia-se o puerpério. Trata-se de um período de adaptação. Do ponto de vista médico, é um momento no qual o corpo da mulher volta ao estado pré-gravídico: haverá regulação hormonal, volta da menstruação, os órgãos vão voltando ao lugar, o fluxo sanguíneo se estabiliza, etc., durando em torno de 40 a 60 dias. Lembrando ainda que as mulheres que amamentam exclusivamente ao seio até os 6 meses de vida do bebê, podem voltar a menstruar depois de 180 dias ou mais, estendendo o período puerperal.


Já do ponto de vista psicológico, é uma fase de adaptação à nova realidade. Depois de se tornar mãe, a mulher nunca mais será a mesma. E até ela conseguir se adaptar à esse novo papel, desenvolver uma nova identidade e reestruturar a sua vida em todos os aspectos, certamente será um período muito difícil, podendo durar por 2 anos ou mais.


É muito comum que a mulher desenvolva algumas alterações emocionais, como o baby blues, depressão, altos níveis de estresse e ansiedade. Por isso, o acompanhamento psicológico nesse período é muito importante: tanto para tratar daquela que já apresenta esse adoecimento psicológico, como para atuar preventivamente com quem acabou de se tornar mãe. Eu sei: é estranho falar que a chegada de um filho pode desestruturar e desorganizar a tal ponto! As pessoas têm a ideia de que a maternidade é só alegria e ponto! Pode ser muito feliz sim para grande parte das mães, mas isso não muda o fato de ser extremamente difícil também!



O período de adaptação à nova vida varia de acordo com a realidade de cada mãe. Tem mães que vão se adaptar mais rapidamente, outras vão precisar de mais tempo. Tem mães que vão precisar de apoio psicológico para facilitar essa adaptação. Mas um fato é comum à todas: é um período extremamente difícil. Se não o mais difícil da vida. Portanto, não se envergonhe de buscar ajuda, e inclusive ajuda psicológica. Se em momentos difíceis precisamos de apoio, por quê não na maternidade?


Para mais conteúdos, acesse @psico.marimiguel





25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page