top of page

O que é períneo íntegro e sua relação com o parto normal

A saúde feminina passou por transformações ao longo do tempo. Nesse sentido, conhecer o próprio corpo e os aspectos do parto complementam os cuidados pré-natais. Você sabe o que é períneo íntegro e a sua relação com o parto normal?


Foto: Freepik

Essa região, localizada na parte inferior da bacia, é composta por músculos, ligamentos e tecidos. O períneo tem a função de sustentar os órgãos pélvicos, inclusive o peso do bebê. Além disso, participa de ações que envolvem a continência urinária, fecal e a sexualidade.


A integridade perineal pode ficar comprometida após o parto normal. Mesmo sem uma lesão aparente. Vamos saber mais sobre esse tema? Acompanhe o artigo e boa leitura!



O que é períneo íntegro?


Períneo íntegro é a ausência de lesões nesta região. Em relação à gestação, significa que não houve lacerações ou rompimentos visíveis na pele ou nos músculos durante o parto.


A integridade muscular do períneo, ou do assoalho pélvico (MAP) pode variar. Em mulheres que ainda não tiveram filhos, os fatores de risco podem incluir:


  • condições genéticas;

  • sedentarismo;

  • idade;

  • obesidade;

  • atividades de alto impacto.


Entretanto, as mudanças que acontecem durante a gravidez já podem levar ao comprometimento do períneo. Você sabe como?


As alterações hormonais e o aumento do tamanho do útero são adaptações para acolher o bebê. Com o aumento da flexibilidade dos tecidos pélvicos, o períneo passa a ficar cada vez mais sobrecarregado. Logo, pode ser que termine esse período gestacional enfraquecido.


O trabalho de parto também exige muito do períneo. Contudo, a passagem do bebê pelo canal vaginal parece ser favorecida pelo equilíbrio entre o alongamento e a resistência da musculatura.


Variações de posições no parto vêm sendo associadas a um períneo íntegro após o parto normal. Embora evidências mais robustas sejam necessárias, são posições que podem ter relação com a proteção do assoalho pélvico.


De todo modo, as adaptações que preparam o corpo da mulher para a gravidez e para o parto expõem o períneo a riscos. E, mesmo sem uma lesão conhecida, pode ocorrer um problema funcional.



O que é trauma perineal?


Trauma perineal é a perda da integridade do períneo. Podem ser lacerações, em outras palavras, um comprometimento das partes moles da região perineal. Ou alterações ocorridas também no parto, como: edemas e hematomas.


As lacerações perineais podem ser cirúrgicas ou, mesmo, espontâneas. Entre as lesões cirúrgicas, uma incisão conhecida como episiotomia tem a mais alta incidência. O procedimento de forma rotineira não é indicado e seu uso restrito é recomendado.

As lacerações espontâneas, ou naturais, podem ocorrer durante o parto. É quando o tecido estica a ponto de se romper.


São classificadas em quatro graus diferentes, de acordo com as estruturas acometidas. Podem envolver o comprometimento da pele, fáscia e até uma laceração muscular.


Alguns fatores podem ser considerados de risco para as lacerações espontâneas, como:


  • primiparidade;

  • macrossomia fetal;

  • período expulsivo prolongado;

  • posições de parto e assistência profissional


Um estudo (2011) sugeriu que as lacerações espontâneas graus I e II seriam as mais comuns. Ainda, de acordo com o trabalho, na maioria dos partos (61,6%) a integridade perineal foi mantida ou ocorreram lacerações de grau I.


É importante saber que existe a chance de acontecer algum trauma perineal no parto via vaginal. Mesmo quando adotadas práticas respeitosas de assistência à mulher e durante o parto.


Foto: Freepik


Como a fisioterapia pode atuar?


Muitas pessoas perguntam qual a importância da fisioterapia pélvica nesse contexto. Vamos entender um pouco.


A literatura científica enfatiza que os traumas perineais trazem consequências para a saúde materna. Além da lesão física, podem acontecer problemas emocionais. E, do mesmo modo, uma experiência negativa em relação ao parto.


Conhecer os fatores de risco para as lacerações perineais contribui para a prevenção. Dessa maneira, sugere-se preparar e proteger o períneo. Esses cuidados podem começar no período pré-natal, envolver o momento do nascimento e, ainda, o pós-parto.


Um períneo íntegro não significa, somente, um períneo livre de traumas. Estiramentos e compressões podem comprometer a sua funcionalidade e expor a mãe às disfunções do assoalho pélvico.


Conheça como a fisioterapia pélvica pode atuar.



Preparando o períneo para o parto


Quando ainda não existem queixas ou disfunções, a fisioterapia pélvica contribui para a preparação do períneo para o momento do parto.


Por meio de ações educativas, as futuras mães aprendem sobre os músculos do assoalho pélvico. Igualmente, são incentivadas a contrações e relaxamentos voluntários corretos. Para falar a verdade, é uma região que, às vezes, nem temos consciência, não é mesmo?


Posteriormente, alguns recursos podem ser utilizados para ganhar flexibilidade e resistência. Podem incluir exercícios, equipamentos ou massagem perineal.


A orientação profissional é sempre recomendada para que se atendam às necessidades individuais de cada gestante.



Avaliando o períneo no pós-parto


A avaliação fisioterapêutica contribui para a identificação de alterações e condução do tratamento adequado. As variáveis analisadas incluem: força, resistência e coordenação.


Algumas complicações após o trauma perineal envolvem:


  • dor no pós-parto

  • incontinências urinária e fecal

  • dispareunia (dor durante a relação sexual)

  • outras disfunções do assoalho pélvico


Avaliar o períneo cerca de um mês e meio a dois meses após o parto significa intervir tão logo seja possível (ou necessário). Promover a recuperação pós-parto faz parte dos cuidados com a saúde feminina e materna.


Igualmente, a fisioterapia pélvica pode colaborar preventivamente para o retorno às atividades físicas. Priorizam-se exercícios restauradores, mediante posturas e ativações musculares estabilizadoras.


Não menos importante, o treino pós-parto pode ajudar você a se preparar para futuras gestações.


Com base no que foi apresentado, entender o que é períneo íntegro e sua relação com o parto normal é relevante. A falta da integridade perineal pode ir além das lesões visíveis e comprometer a função da pelve feminina.


Períneo, gestação e pós-parto requerem cuidados específicos. A fisioterapia pélvica pode colaborar desde o período pré-natal até o pós-parto.

Gostou dessas informações? Deixe nos comentários a sua dúvida, para que possamos esclarecê-la. Para mais temas sobre fisioterapia e gestação, continue acompanhando o nosso blog.


Na próxima quarta, teremos mais um post :) Obrigada pela sua leitura!


Texto por Mônica Mello em parceria com Liris Wuo.

1.366 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page