top of page

Por que você deve tomar cuidado ao elogiar seu filho!

Atualizado: 30 de ago. de 2022


Imagem extraída de canva.com

“Elogios podem ser desencorajadores em vez de encorajadores. Em longo prazo, o elogio não tem o efeito positivo que a maioria das pessoas pensa que tem. Um pequeno elogio pode não doer, mas, provavelmente, não ajudará tanto quanto os pais esperam” (Livro: Disciplina Positiva para crianças de 0-3 anos. Como criar filhos confiantes e capazes. Jane Nelsen, Cheryl Erwin e Roslyn Ann Duffy. Editora Manole).


“O elogio não é encorajador porque ensina as crianças a se tornarem “viciadas em aprovação”. Aprendem a depender dos outros para avaliar seu valor. Pesquisa por Carol Dweck, Ph.D.professor da Universidade de Stanford, provou agora o que Adler ensinou anos atrás. Muito elogio não é bom para as crianças. Dweck descobriu que o elogio pode dificultar a tomada de riscos. As crianças que foram elogiadas por serem inteligentes quando realizaram uma tarefa escolheram tarefas mais fáceis no futuro. Eles não queriam arriscar cometer erros. Por outro lado, as crianças que foram “encorajadas” por seus esforços estavam dispostas a escolher tarefas mais desafiadoras quando podiam escolher. Como Dreikurs disse: “Encoraje a ação [ou esforço], não o resultado”. Em outras palavras, em vez de “Você tirou A, estou tão orgulhoso de você”, tente “Este boletim mostra o quanto você trabalhou. Você deve estar aprendendo muito!”


Uma tendência hoje é que os adultos pensam que precisam fazer um comentário (em nome do incentivo) sobre tudo o que uma criança faz. Pior ainda, é quando eles acham que devem bater palmas e torcer. Imagine que você é uma criança de dois anos e acabou de derramar seu próprio leite de um pequeno copo medidor em um pequeno copo. O que você está sentindo? Quando entro nesse papel, sinto-me orgulhoso de mim mesmo – e muito capaz. Fique no papel e agora imagine sua mãe começando a bater palmas e torcer? O que você está sentindo agora? Quando entro nesse papel, é interessante que ainda me sinta orgulhoso. Eu até gosto que minha mãe esteja torcendo. No entanto, quando me aprofundo, começo a acreditar que preciso fazer o bem para agradar minha mãe.


Bater palmas e aplaudir cada pequena ação é uma forma de elogio, e o perigo é que as crianças gostem disso. Eles não entendem os começos sutis da necessidade de agradar e/ou do medo de não agradar. Todos esses sentimentos e decisões estão sendo formados em um nível subconsciente. Aplaudir, bater palmas e comentar tudo o que uma criança faz são formas sutis de fazer com que as realizações de seu filho sejam mais sobre você do que sobre ele ou ela. Na verdade, isso impede seu filho de manter seu senso de satisfação pessoal e sentimentos de capacidade.


Incentivo é ajudar seus filhos a desenvolver coragem — coragem para crescer e se tornar as pessoas que eles querem ser. Coragem para se sentir capaz, ser resiliente, aproveitar a vida, ser feliz, contribuir com a sociedade e, como disse Dreikurs, “ter a coragem de ser imperfeito”, sentir-se livre para cometer erros e aprender com eles.


Como incentivar? Algumas ideias seriam:


1. Faça Perguntas que estimulam a curiosidade para convidar as crianças a pensar em vez de dizer o que devem pensar – e dar-lhes um senso de escolha para usar seu poder pessoal para a responsabilidade social.


2. Deixar ir para que as crianças tenham oportunidades de aprender e crescer – cometer erros e tudo mais.


3. Mostre fé nas crianças para que elas possam desenvolver fé em si mesmas.


4. Passar um tempo especial para garantir que a mensagem de amor seja transmitida.


Como saber se você está incentivando seu filho?


1. Você está promovendo a AUTO-avaliação ou a dependência da avaliação dos outros?


2. Você está convidando seu filho a pensar ou dizendo a ele o que pensar?


3. Você está permitindo que seu filho descubra as coisas por si mesmo ou envolvendo-o na solução de problemas, ou você está resgatando e consertando as coisas para ele?


4. Você está considerando o que seu filho pode estar pensando, sentindo e decidindo em resposta ao que você faz ou diz, ou você evita entrar no mundo do seu filho?


5. Você está ajudando seu filho a se sentir capaz ou dependente?


Se você puder responder sim à primeira parte de cada uma dessas perguntas, é provável que você esteja incentivando seu filho. Se não, agora pode ser um bom momento para começar a praticar o encorajamento”. (traduzido de https://www.positivediscipline.com/articles/encouragement-what-does-it-mean-and-how-it-done).


Educar de forma consciente, requer que você pense nos efeitos à longo prazo das suas práticas educativas atuais! 😉


Precisa de ajuda para aprender a encorajar seu filho, enquanto o incentiva a se tornar responsável, confiante e colaborativo?


Para contato e mais informações, acesse @psico.marimiguel



33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page