top of page

Como entender melhor sua criança de 4 anos segundo a Educação Positiva

Atualizado: 12 de dez. de 2023

Sua criança chegou aos 4 anos e junto com a nova idade vem uma série de

conquistas! Ela já frequenta a escola, tem um vocabulário bem vasto, consegue

argumentar, tem muitas vontades e conhece um pouco mais da realidade. Mesmo assim, ela ainda mistura seu dia a dia com fantasia.


educação positiva 4 anos

Sabe aquela criança que aos 2 e 3 anos tentava firmar seu espaço no mundo e como pessoa? A criança de 4 anos se reconhece como indivíduo, entende suas características e a de seus familiares e começa a descobrir melhor seus pares. Apesar de parecer ter conquistado uma certa maturidade comparada à sua primeiríssima infância, ela ainda está buscando seu próprio jeito de se colocar no mundo. Por isso, a idade dos 4 anos é conhecida por muitos como a “fase da teimosia”.


A criança vai querer fazer a maioria das coisas sozinha e vai argumentar para tentar te convencer que a maneira dela de fazer as coisas é a certa. Isso pode tornar mais desafiador para os pais o dia a dia, mas tente entender esse momento que a criança está vivendo e procure dar o máximo de autonomia possível!


Tudo o que for possível deixar acessível para que a criança consiga fazer por si só, deixe. Dê espaço para a criança colocar sua opinião acerca de decisões simples do dia a dia, como se deseja tomar banho antes ou depois do jantar, para que ela sinta sua autonomia sendo respeitada. E, quando não for possível fazer do jeito que a criança quer, explique o motivo e ofereça escolhas aceitáveis para a situação, a fim de que dentro dessas possibilidades, ela mesma possa decidir.


Por exemplo, ao invés de ficar discutindo que a roupa que ela colocou para sair não combina, mostre duas opções de roupas de sair que combinam e peça-a para escolher entre essas 2 opções, dizendo: “Vamos sair. Você quer colocar essa calça vermelha com essa blusa xadrez ou essa calça jeans com a blusa de listras? Você decide”.


Os 4 anos também é conhecida como a “fase dos porquês”. É quando as crianças

recebem mais informações do que conseguem absorver e então surgem as dúvidas – muitas dúvidas! Por que o céu é azul? Por que você falou isso? Por que a maçã é vermelha? 


Procure responder à essas perguntas com empatia e paciência. Não precisa dar uma aula de ciências! É só responder objetivamente para atender à curiosidade da criança e para que ela compreenda mais do nosso mundo!


Sobre uma coisa você pode respirar aliviada. As crises antigas de se jogar no chão ou ter comportamentos mais agressivos tendem a parar, ou ao menos diminuir. 

Por já terem um melhor entendimento e uma maior fluência na fala, as crianças de 4 anos respondem aos momentos de crise de forma um pouco mais organizada. E esse é um dos motivos por que é tão importante saber lidar bem com as crises de 2 e 3 anos de idade! 


Quando você auxilia a criança a entender seus sentimentos, sua frustração e o porquê de ela poder ou não ter tal comportamento, você a ajuda a ter repertório em crises futuras.

Assim, aos 4 anos, quando o momento de raiva ou decepção chegar, ela lembrará de como foi acolhida anteriormente e colocará esse comportamento em prática! 


Claro, o cérebro da criança ainda está em formação e algumas vezes ela responderá a uma frustração de forma mais primitiva. Mas esses episódios serão cada vez mais escassos. Pode – e vai – ter choro, lamentação, alguns gritos de resistência. Mas, aos 4 anos, as crianças também falarão sobre o que estão sentindo.


“Eu estou muito bravo”. “Você não pode fazer isso”. “Não é justo”. São algumas frases que você pode ouvir do seu filho no momento da raiva. É também a hora que ele pode dizer que não gosta de você ou algo que pode te magoar.  Não leve para o lado pessoal, por mais difícil que seja. Tomada pela frustração, a criança vai dizer o que está sentindo naquele momento. Ela está triste e decepcionada por não poder fazer algo que queria naquela hora. Quem “impediu”? Você. Então,

naquele momento, ela sente que não gosta de você. Com o tempo ela entenderá

melhor esse sentimento e o peso desse tipo de fala.


É também no momento de crise dos 4 anos que enxergamos em um espelho como estamos lidando com nossos filhos, pois, no momento da raiva e frustração, a criança pode responder para os pais da mesma forma que eles falam com ela em um momento ruim. 


Sabe quando mãe, pai e cuidadores estão cansados, frustrados, sobrecarregados e

respondem rispidamente? Nesse momento de crise, a criança pode responder da

mesma maneira. E é então que percebemos o quanto nossos filhos aprendem não somente pelo que falamos, mas pelo nosso exemplo.


Se você está tendo dificuldades para lidar com os comportamentos desafiadores da sua criança de 4 anos, eu, como Psicóloga de Mães, posso te ajudar!


Me envie uma mensagem para mais informações sobre o meu trabalho e sobre a educação positiva!


 

Texto escrito por Mariana Deodonno Miguel, Psicóloga parceira Gestar


Psicóloga de Mães! Educar uma criança não é tão fácil quanto você imaginava!

Psicóloga pós-graduada em Psicologia da Maternidade • Atendimento individual e online

• Específico para mães de crianças.



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page